lidar-com-o-perfeccionismo-blogdasims
Desenvolvimento pessoal

Como lidar com o perfeccionismo durante a pandemia

Em primeiro lugar, lidar com o perfeccionismo não é tarefa fácil. Principalmente, agora nesta fase de confinamento. O perfeccionismo acaba por ser muito exaustivo e desgastante para quem sofre dela. Porque cada dia estamos constantemente a ter bloqueios quando as coisas não saem como tínhamos planeado. E com isso gerando outras dependências como a ansiedade.

Por isso que digo que nem sempre é fácil conseguirmos controlar. Às vezes quando damos conta já estamos metidos até ao pescoço no nosso perfeccionismo. E quando é assim não há volta a dar. Então hoje quero partilhar com vocês 2 dicas, que considero poderosos, que pode vos ajudar a lidar com perfeccionismo durante a pandemia.

2 dicas para lidar com o perfeccionismo durante a pandemia

Sê uma vigilante de ti mesma

Para cada bloqueio é uma oportunidade de reexaminares aquela área da tua vida em que estás a deixar o perfeccionismo ganhar a batalha. É uma oportunidade de perceberes que o perfeccionismo está no comando e não o teu “eu” autêntico. Portanto começa a ser vigilante de ti mesma e perceber quando estás a tentar ser perfeita e substitui-lo pelo teu “eu” imperfeito e autêntico.

Acredito que nem sempre é fácil, porque o perfeccionismo é uma maneira de fugirmos à vergonha. E segundo a pesquisa da Brené Brown, assiste o vídeo aqui, que nos permitiu entender que os seres humanos odeiam sentir vergonha, e que fazemos, sempre, de tudo para o evitar. No entanto, é exatamente o tentar evitar essa vergonha que nos paralisa ao tentarmos ser perfeitos ou bons o suficiente. Porque o perfeccionismo vem de um sentimento de não ser suficiente, ou de não ser bom. Por isso fazemos de tudo para mostrarmos que somos bons ou suficientes.

Não te martirizes se ficou algo por fazer

Estamos, todos os dias, a fazer e a dar o nosso melhor. E, acredita, ela parece diferente de pessoa por pessoa. Porque não somos todos iguais e cada um a sua maneira. No entanto, é o nosso melhor. Então, para de te martirizares por causa daquela tarefa que ficou por fazer, ou daquela situação que não lidaste como gostarias. Ou, daquela vez que perdeste a paciência. Seja o que for, para porque estás a dar o teu melhor e mereces sentir que és o suficiente exatamente como és neste momento.

Eu sei como é difícil nos lembramos disso nesses momentos, mas isso é algo que nós, como um todo, temos de repensar. Porque só assim conseguiremos aceitar as coisas como elas são e seguir em frente. Só assim vamos conseguir viver com mais tranquilidade e serenidade na nossa vida.

Leia também 13 hábitos que podem minar a nossa auto estima

Conclusão

Existe uma grande diferença entre mostrarmos o melhor de nós e sermos perfeitos. O nosso melhor sabemos que é digno de amor, respeito, cuidado, consideração, etc. Exatamente como somos. O teu “eu” perfeito poderia parecer perfeito para todos os outros por fora e sentires absolutamente derrotada por dentro. E o perfeccionismo é isso, nós nunca podemos ser perfeitos o suficiente para sentirmo-nos bem. Sempre vamos encontrar alguém para compararmos, ou alguma área da nossa vida onde precisamos fazer ou ser mais.

Portanto, nunca vamos nos sentir realizadas. O perfeccionismo é exaustivo e não vale a pena. És suficiente, exatamente, como és neste momento. Estas a dar o teu melhor todos os dias, á tua maneira. Eu todos os dias agradeço por estar a dar o meu melhor. Porque sinto que só assim consigo ir para cama e descansar sem pensar no que não ficou perfeito. Acredita que es suficiente assim, à tua maneira e a hora que quiseres. Não deixe que isso te perturbe, mais ainda, nessa pandemia. Que essas dicas te possa ajudar a perceber que és suficiente, assim. E que se não ficou perfeito está tudo bem, a vida continua na mesma.

Beijinhos de luz

Tem alguma duvida? Quer partilhar a sua experiência? Deixe o seu comentário ou enviei a sua mensagem através da página contato (aqui). E partilhe!

Apaixonada pela vida, pelo meu marido, meu cão, família e amigos. Criei o Blog da Sims porque senti que era uma forma de partilhar um pouco de mim, dos meus interesses e da minha forma de estar na vida. Um blog de partilha do meu eu.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: