fome-fisica-e-fome-emocional-blogdasims
Desenvolvimento pessoal,  Home

Como a nossa emoção pode influenciar na nossa fome!

Hoje quero falar de fome física e fome emocional. Porque como estamos a caminhar para o verão e é nessa altura que começam a surgir aquelas dietas malucas. Tudo com aquela “ilusão” de ter aquele corpo “perfeito”.  E com isso acabamos por prejudicar a nossa saude física e emocional

Diferença entre fome física e fome emocional

Em primeiro lugar existe uma diferença entre essas duas fomes. E que muitas das vezes nos leva ao aumento de peso e em consequência acaba por mexer com a nossa auto-estima baixa. E por isso deixamos de gostar do nosso corpo. Mas tudo isto pode estar relacionado com o nosso interior, com as coisas que estamos a viver naquele momento, as nossas emoções.

Fome física

A fome física é a necessidade básica que temos quando surge a vontade de comer, ou seja, aquela hora certa de alimentarmos o nosso corpo. Como por exemplo a sensação do estômago vazio ou quando sentimos a nossa barriga a fazer barulho. E é isso que desperta os hormónios, como a grelina, que é produzida pelo estômago. Que tem como função de disparar a sensação de fome directamente ao cérebro.

Por isso quando estamos, realmente, com fome o nosso cérebro envia os sinais de modo a saciarmos a nossa fome. Ou seja, o momento para nos alimentarmos com alimentos de verdade que nos saciam e nutrem o nosso corpo.

Fome emocional

Depois vem a vontade de comer, que é um mecanismo que funciona de outra maneira e está ligada à ideia de recompensa cerebral e um  bom exemplo que nos acontece sempre, é o comer chocolate. E quando ingerimos chocolate estamos a ativar o centro de recompensa cerebral ligado às sensações de prazer.

E por outro lado ao ativar esse centro de recompensa com açúcar ou gordura faz com que o nosso cérebro aja como se estivesse a receber uma droga que faz libertar os hormónios do bem-estar como a serotina e a dopomina, que por sua vez funciona como amplificadores da vontade de comer. Por isso a fome emocional.

Então todo esse processo gera um desequilíbrio no nosso organismo com o consumo excessivo de alimentos prejudiciais, levando ao consequente aumento do peso. Estas vontades normalmente surgem no final do dia ou nos intervalos entre as refeições, por isso o importante é saciar essa vontade com lanches saudáveis, ou colocando alimentos com fibras nas refeições que ajudam a regular a saciedades, ou trocar os doces e chocolates nos lanches, por frutas.

Além de alimentos saudáveis, também é preciso fazer um pesquisa e tentar perceber o que está a levar a essa fome emocional. Perceber que parte de ti que não está bem e curá-la.

Conclusão

Portanto é muito importante perceber a sua relação com a comida, se come por ansiedade ou compulsão. Porque quando estamos ansiosos tentamos preencher-la com comida e muitas das vezes com aquelas opções menos saudáveis. Saber distinguir essas duas “fomes” é fundamental para estabelecer uma boa relação com a comida e com o nosso corpo.

Por isso é bom manter uma relação de equilíbrio com o nosso interior, nutrir o nosso corpo e a nossa alma com boas energias e boas vibrações praticando exercícios, meditação ou o yoga, que ajudam a controlar a ansiedade evitando o “ataque” ao frigorifico. Procure ajuda caso não consiga fazer isto sozinho/a.

Beijinhos de luz

Tem alguma duvida? Quer partilhar a sua experiência? Deixe o seu comentário ou enviei a sua mensagem através da página contato (aqui). E partilhe!

Apaixonada pela vida, pelo meu marido, meu cão, família e amigos. Criei o Blog da Sims porque senti que era uma forma de partilhar um pouco de mim, dos meus interesses e da minha forma de estar na vida. Um blog de partilha do meu eu.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: